sábado, 8 de maio de 2010

Redundância

Vou ser redundante,
e não há como escapar,
das letras delirantes
deste um coração a chorar.

Lindas palavras
quero dizer,
elogiar no escrito
e nele me entorpecer.

São tristes
as palavras mais lindas.
Vindas de alma sofrida.
Vindas de boca ressequida.

Viver na lembrança
É o que vivo,
ter meus sonhos
e esperanças,
e nunca os ter esquecido.

Mulher querida,
És a mais linda
que meus olhos podem ver.
Curvo-me a ti, bendita,
assim como me curvo
a vida que quero viver.

Entre a frieza do não,
E a incerteza do sim,
Sofre o coração
E se cobre de carmim.

E na incerteza da estrada
Que me ponho a caminhar
Só tu, meu amor
É que me faz de novo sonhar.

3 comentários:

Majoli disse...

Older, meu querido, você decanta o amor tornando-o sublime.

Amo te ler, suas rimas, seus versos, suas estrofes me levam a sonhar com um lindo amor.

Beijos com carinho no teu ♥.

Tenha um bom final de semana.

Wanderley Elian Lima disse...

Olá Older
A esperança de encontrar um amor é o que nos faz caminhar sempre e acreditar que um dia ele virá.
Um abraço

REGGINA MOON disse...

Older,

Belíssima Redundância, exaltando o amor...Parabéns Poeta!
(...)
Entre a frieza do não,
E a incerteza do sim,
Sofre o coração
E se cobre de carmim.

E na incerteza da estrada
Que me ponho a caminhar
Só tu, meu amor
É que me faz de novo sonhar.

belíssimo.........

Tenha uma ótima semana!

Beijos,

Reggina Moon