terça-feira, 11 de maio de 2010

O que era prá ser (Medo)

O que era para ser,
E não aconteceu.
Fez desaparecer,
Quase morreu.

Quem quase morreu,
Está vivo.
E quem amou
jamais terá esquecido.

Basta um leve pensar
Nas chances escorridas pelos dedos
Para tentar avaliar
Todos os seus medos.

Medo de novo amar,
medo de novo sofrer.
Medo de se entregar,
Até se sentir desfalecer.

Desfalecer
naquele beijo bendito
que nos tira o ar
e nos deixa perdido.

De novo o amor chegou
fez renascer a vida.
E de novo coração se entregou
De novo esperança renascida.

Deixar de viver no outono.
Deixar o inverno passar.
Passar a esperar o verão
e a primavera, com flores a brotar.

Deixar....deixar....
Deitar neste sonho de agora
E me deixar levar.
Deixar o medo de lado
O medo de um novo amar.

Um comentário:

Wanderley Elian Lima disse...

Olá Older
Amar sempre vale a pena, mesmo que tentemos várias vezes essa é uma busca justificável.
Um abraço