segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Tecelã

Conheci uma moça,
uma vez,
que tecia,
tecia lindos panos,
finamente bordados,
com fios de mentiras.
Estes panos eram expostos
e todos deles se encantavam,
até a tecelã,
mesmo sabendo
de quais materiais eram feitos
os bordados,
também deles se encantava,
também neles se iludia.
Um dia descobriu-se
de que eram feitos
tão encantadores panos,
alguns passaram a olhar
os belos trabalhos com outros olhos,
outros continuaram a se admirar,
mesmo sabendo que eram fios de mentira
que os iludia, que os encantava,
alguns poucos, muito poucos,
não mas quiseram saber
de olhar os tais panos.
A estes últimos,
minha pena total,
apesar de feitos
com o mais belo fio de mentira,
o trabalho bordado
continua lindo,
e a moça,
bela tecelã,
continua trabalhando
como nunca.

4 comentários:

Jou Jou Balangandã disse...

E a vigaem, como foi?

brisonmattos disse...

outros com certeza irão contemplar esse lindo trabalho.Esqueça os que anteriormente o fizeram.Não é mais importante.

Pena disse...

Admirável Poeta Amigo:
A sua "Tecelã" é uma sensata e profunda significação de pureza humana.
Possui um gigantesco sentir de coisas sensíveis e de imensa reflexão extraordinária.
O seu blogue é um composto de maravilha e talento.
Faz pensar, o que, gigantescamente, escreve.
Gosto de passear por aqui. É acolhedor e de hinos à vida de registar.
Parabéns. VOCÊ é sublime.
Abraço amigo de respeito e estima.
Sempre a admirá-lo pelo que é e escreve.

pena

Bem-Haja, amigo poeta.
Já registei o seu poema em mim.
MUITO OBRIGADO pelo requinte da sua visita. OBRIGADO sentido, amigo.

Regina disse...

Older, meu amigo,

Eu, particularmente, não admiro panos tecidos com fios de mentira... mesmo que estes, sejam fabricados com os mais reluzentes e finos materiais...

Prefiro os tecidos puros, ainda que os de algodão que, apesar de simples, são leves, aconchegantes e que verdadeiramente aquecem nossa alma!...

Que bom que voltaste, espero que tenha feito uma boa viagem e sonhado muito!!

Beijos!