segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

Passeio Noturno

Vem a noite,
a escuridão toma conta de tudo,
algumas luzes pálidas
iluminam levemente o ambiente.
O silêncio se faz,
a não ser pelo cão
que teima em latir ao longe
quebrando o silêncio da madrugada.
O cheiro misterioso, adocicado, e aveludado
da dama da noite vem chegando,
trazido pelo vento.
Respiro fundo,
deitado de onde estou,
para trazer mais dele para mim.
Fecho meus olhos
e como em um sonho,
meu corpo sai flutuando atrás deste cheiro.
Encontro enfim as pequenas flores brancas
que exalam tão atraente perfume.
E como uma mariposa em volta da lâmpada,
me ponho a rodar em volta da planta,
tomo alguns de seus galhos em minhas mãos,
de forma delicada,
e me ponho a dançar com esta dama.
Dançamos durante a madrugada
até que já cansados de tanto dançar
Morfeu nos leva para a cama,
de ébano e essências.
Dormimos..... e sonhamos,
cobertos pelo brilho da lua,
que surgiu,
no meio da dança encantada.

Um comentário:

Deusa Odoyá disse...

Meu lindo amigo.
Que lindo, puro e iluminado poema.
Me apaixonei por essa noite de encantos.
Perpétuos são os momentos, quando as águas lavam as lágrimas escorridas por dentro.
Me emocionei com esse poema.Me lindo amigo, uma semana de muita paz e saúde para vc.
Que Deus possa sempre caminhar ao seu lado, lhe trazendo muitas realizações e felicidades.
Beijinhos doces da amiga.
Regina Coeli.