segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

Restos

Postarei, agora, algo muito antigo que escrevi, mas que tenho a certeza que vai servir como uma luva para alguém.
Forças que a vida continua.


Eis, ex-amor,
o que sobrou de mim
depois de tua partida.
Um corpo,
nada mais
do que um corpo.
Pedaços de carnes
organizadas pela mágica da vida
e sustentados por ossos
que teimam em resistir.
Não existe mais alma
que o sustente,
não existe suficiente carne
que o preencha,
ou que preencha sua falta.
Nada mais se faz presente,
sem tua presença.
Um corpo é o que restou,
vagando por caminhos errantes,
sem destino certo.
Buscando ansiedades
para lotar o vazio.
E mesmo cheio de vazios,
cheio de tolas angústias,
procura sorrir,
ainda que um riso triste,
para esconder
o que a tua falta
faz.

4 comentários:

Wanderley Elian Lima disse...

Meu amigo Older, tomara que um novo amor, cure todas as suas feridas e você possa se entregar de corpo e alma.
Abração

Older disse...

Meu caro Wanderley, as minhas feridas estão fechadas e cicatrizadas.
"O amor tem feito coisas
que até mesmo Deus duvida.
Já curou desenganados,
já fechou tantas feridas."
Como diz Ivan Lins.
Abs

Ricardo Calmon disse...

HONRARIA PURA,TÊ-LO COMO SEGUIDOR E SEU SER!
TYE ABRAÇO ESCRIBA DA VIDA!

VIVA LA VITAAAAAAAAAAAAAAAAA

Deusa Odoyá disse...

Meu querido.
O que um grande amor faz ao nosso coração.
Siga seu caminho, procure trilhar por outros rumos, sua felicidade.
Apague de sua lembrança o que apenas restou desse doce amor.
Pois só lhe trouxe tristezas e dor.
Se não foi amor verdadeiro, não se culpe e nem se deixe abater.
Siga em frente, procure encontrar em outra alma, sua metade.
A metade de um amor puro, verdadeiro, cúmplice. amigo, fiel e com bastante tesão.
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
desculpe a brincadeira.
Obrigado por fazer parte de meu círculo de amigos.
Te dolo...
Uma semana de muita paz, fé, amor e realizações.
Beijinhos doces da amiga.
Regina Coeli.