segunda-feira, 6 de outubro de 2014

Amor Raro







As palavras  inconstantes,
que vão soltas pela vento.
E se perdem num instante,
num instante do momento.

De joelhos me coloco,
em total sofreguidão.
Em silencio te imploro,
me perdoa coração.

Sinto falta dos teus beijos,
e de teus cálidos olhares.
Dos sabores, de teus jeitos,
e de teu perfume pelos ares.

Nosso sonho foi tão alto e forte,
dando luz ao coração.
Que para sempre nos conforte,
na terrível solidão.

E te digo minha vida,
sem mentiras ou devaneios.
Foste tu a escolhida,
para matar os meus anseios.

Pedi a vida mais que ele dava,
procurei de todo jeito esquecer.
Aquele beijo que me queimava,
me fazia aos poucos morrer.

E dos versos sem preparo,
que minha boca ainda te diz.
Bendito seja este amor raro,
que me faz tão feliz.


Nenhum comentário: