domingo, 27 de abril de 2014

Sem Iguais




O que quis te dizer?
Não ficou sabendo?
Eu ainda amo você,
Está todo mundo vendo.

Pode correr para longe,
Ou então ficar bem perto.
Se olhar não tem por onde,
Vou estar de peito aberto.

Mesmo no silencio teu,
Até no desvio de olhar.
Mesmo não sendo mais eu,
Até que possas me ignorar.

Ficou plantada na lembrança,
Os momentos sem iguais.
Sempre haverá a esperança,
De voltar a ter casais.

Que possam andar na praça,
Ou então comer pipoca.
Não perceber o tempo que passa,
Ficar só trocando beijoca.

Sem iguais ficariam,
Causando inveja nos demais.
E para sempre viveriam,
Até não poder mais.


2 comentários:

brisonmattos disse...

Acho tão fofo esse teu jeito de amar em poesia.

Rosa Azul disse...

Eles são assim mesmo,

Para sempre felizes, sem ligar nem pro tempo que passou...