quinta-feira, 3 de abril de 2014

Olhos Fechados




Fecho bem os olhos,
Para não ver passar o tempo.
O rosto então eu molho,
no que foi por um momento.

São guardadas fantasias,
Espalhadas pelos cantos.
São retratos,  nostalgias,
Que alimentam o meu pranto.

Vou andando pelas ruas,
Num caminho ainda incerto.
Tão desertas, quase nuas,
Com você sem ser por perto.

Tanta gente a me olhar,
Que nem sei por que eu vim.
Só queria me lembrar,
Que já fui bem mais de  mim.

Hoje sombra vou seguindo,
Procurando te encontrar.
Acho até que vou fugindo,
De onde eu queria estar.

E de olhos bem fechados,
Para não ver passar o tempo.
Sou só mais um culpado,
Por fugir o pensamento.

Um comentário:

Tatiana Moreira disse...

Olhos fechados... Mas repletos de sonhos!