segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Vento Forte

O amor poderia ser nosso,
Se não fosse um tal vento.
Que soprou no maremoto,
Deixando todo desalento.

O inverno chegou agora,
Tudo a volta calou.
A felicidade foi-se embora,
Nem um olhar ela deixou.

O que era nosso,
Passou a ser meu.
Ficou muito remorso,
No corpo que faleceu.

Fecho os olhos com medo,
Do que posso encontrar.
Do amor o arremedo,
Que ficou em seu lugar.

Tira da alma o grito,
É tudo que se deseja.
Largar o lugar aflito,
Morar onde não troveja.


2 comentários:

Clecilene Carvalho disse...

Tristes, porém lindas falas e bela música!

Tira da alma o grito,
É tudo que se deseja.
Largar o lugar aflito,
Morar onde não troveja.

Elcio Tuiribepi disse...

Olá Older...quanto tempo...valeu pela visita
Um poema embalado, forjado com uma pitada de tristeza...engraçado como a tristea nos faz escrever tanto né...
O que era nosso passou a ser meu...interessante esta frase...
Parabéns pelo poema...a vida é uma arte e dentro dela temos que ser artistas...rs
Um abraço na alma...boa semana