domingo, 15 de janeiro de 2012

Tentando Mudar

Onde a memória não alcança,
É lá que quero estar.
Voltar a ser criança,
E nada ter prá preocupar.

Esquecer rapidamente,
Toda injustiça do mundo.
Sorrir naturalmente,
Vivendo cada segundo.

Deixar de lado o triste,
Só levar o que se pode.
Baixar o dedo em riste,
Sem lembrar como se explode.

Mudanças são necessárias
algumas vezes na vida.
Senão viras um pária,
lambendo a própria ferida.

Por mais que doe,
tem de haver.
Você que me perdoe,
mas vou desaparecer.

Passar por uma reforma,
apesar de não querer.
Consertar o que me sobra,
é preciso proceder.

Um comentário:

Majoli disse...

Meu querido Older, que ao passar por essa reforma, se sinta pronto pra recomeçar, dar sentido aos novos passos em seu caminhar.

Beijos com carinho.