quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Foi-se o Tempo

Foi-se o tempo em que dizia
Que meu mundo ia acabar.
E aos poucos eu partia
Sem muito com isto importar.

Não importava onde ia
Eu não via solução.
Sem saber o que dizia
Só dizia maldição.

Era lamento,
Era lamúria.
Era um tempo
Só de amargura.

Mas eis que muda a vida.
De repente, assim do nada.
Vai-se uma vida exaurida
E fica uma vida renovada.

Novo caminho se abre
Em um mundo meio gris.
E o que antes era desastre,
Acabou em um final feliz.

Pode até continuar,
Tudo meio que conturbado.
Aos poucos deixei de chorar
Olho sempre o outro lado.

Com temor e fé,
Vou seguindo adiante.
Pé ante pé,
Vou andando radiante.

Como é bom sentir
A alma toda renovada.
Não mais pensar em partir
E sim seguir na nova estrada.

Agradeço a quem me ajuda,
E ampara a todos também.
Me tirando da loucura,
E todo dia digo amém.

Em só ver o que convém,
Eu nada em volta via.
Eu antes era refém,
Em um ato de covardia.

Mas isto tudo passou,
Com a ajuda Divina.
Agora sou o que sou
Vou seguindo esta doutrina.

Nem sei se mereço tanto,
Depois de tudo que fiz.
Mas só em secar o pranto,
Já sou um homem feliz.

Um comentário:

Ana disse...

Amen. O pranto pode durar uma noite, mais a alegria vem pelo amanhecer!!!.
bjs....