segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Ela

Ela,
foi chegando assim,
Meio sem querer,
E eu nem tava afim.

Veio,
Toda sorridente,
Me pegou carente,
Encostou em mim.

Uma,
rosa com valor,
Espalhando amor,
Feito querubim.

Chegou,
desatando laços,
Tomando espaço,
Vestindo carmim.

E eu,
no desembaraço,
Tava no bagaço,
Caidinho sim.

Mas,
eu me deixei de lado,
Corri pro abraço,
Esqueci de mim.

Então,
fui enfeitiçado,
Me perdi no passo,
Entrei no festim.

E,
foi ficando sério,
E todo mistério,
Não era tão ruim.

Agora,
acabou passado,
Tô afivelado,
Quero tudo enfim.

Vamos,
deixa de bobeira,
Vem fazer zoeira,
Tintim por tintim.

Um comentário:

Tatiana Moreira disse...

Quando viajo pela Blogosfera e encontro um lugar assim... Sinto que que é o universo conspirando a favor!
Sua poesia é linda... E espero que Ela ouça o seu pedido.
Um abraço carinhoso