domingo, 14 de agosto de 2011

Eu

Já tive de tudo na vida,
Que coube na palma da mão.
Já tive amor de menina,
Já tive amor de irmão.

Dois filhos com muito orgulho
E algumas histórias prá contar.
Já corri risco, comi bagulho.
Já sofri muito de tanto amar.

Os meus pais se foram cedo,
E um irmão se foi também.
Já tive da morte medo,
Hoje só espero quando ela vem.

Dos amigos tenho orgulho,
Irmãos que a vida me deu.
Para muitos sou taciturno,
Para outros sou só um Romeu.

Quando me apaixono,
Sou total dedicação.
A noite me vem o sonho
E nele, sou dono de meu timão.

Sou meio que palhaço,
E como todo palhaço sou triste.
Também não sou feito de aço,
Não deixo uma lágrima em riste.

Só viver um novo dia,
Hoje, é tudo o que peço.
Mais um dia de fantasia,
É pouco, eu sei, confesso.

Um rei ou então um escravo,
Um conselheiro sem a menor inclinação.
Uma coisa eu sei, só falo,
O que me vem do coração.

Nenhum comentário: