terça-feira, 20 de abril de 2010

A Vida

E assim
segue a vida,
aos trancos
e barrancos.

E aos trancos,
e barrancos,
segue passando a vida.

Com mágoas,
Com ranço.

Umas passam depressa,
outras passam devagar,
todas passam um dia
nisso você pode apostar.

Mas mesmo estas,
que passam depressa,
deixam marcas em nós,
deixam marcas profundas,
nos deixam a sós.


Deixam um monte de nós,
difíceis de desatar.
Estes nós apertados,
não há como negar.

Eles foram
tão bem atados,
São difíceis de separar.

Ligados por uma vida inteira,
mesmo que esta vida
seja somente uma vida
passageira.

Sempre serão vidas irmãs.
Irmãs na emoção,
Irmãs de coração.
Irmãs por uma vida.




9 comentários:

R. disse...

Um bolero ruim de se dançar sozinho...aliás...como todos eles...
A dança que imita a vida...
Mesmo assim, que esse seja um bom dia!

Gisa disse...

... aos trancos e barrancos, pior que é assim mesmo rsrsrs

MAS, seguiremos firme não é ?

bjao

Tatinha disse...

Nem me fale Older..
Nem me fale!

Mulher na Polícia disse...

"E aos trancos,
e barrancos,
segue passando a vida".

Doce poesia e doce som...

Beijo!

Francisco disse...

A vida é assim mesmo! É levada aos trancos...
Não fosse assim, perderia a graça, como tudo o que é muito certinho.

Um abraço!

Ava disse...

É, meu amigo, é assim que temos que viver... E esses nós, difíceis de desatar nos deixam presos a tantas coisas...

Saudades daqui...

Beijos!

Chá das Cinco disse...

Como nada é perfeito...

Um grande abraço Older
Gemária Sampaio

Wanderley Elian Lima disse...

Olá Older
Realmente tudo passa, ainda bem, tanto os bons quanto os maus momentos.
Um abraço

Sonhadora disse...

Meu amigo
Lindo poema, que retrata a vida...adorei ler.

beijinhos
Sonhadora