sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Daquilo que eu acho que sei

Daquilo que eu sei,
e nada sei,
estou envolvido.
Envolvido por um amor
que tem de tudo para dar errado
ou não ter futuro.
Por que acontece destas coisas?
Será que é só comigo que a vida apronta?
Guardo nos olhos o seu rosto
e seu jeito meigo de ser.
Em meu gosto
tem o teu gosto.
Em meu corpo
tem o teu corpo
como parte dele.
Acho que este amor é unilateral,
um amor solitário,
um amor sozinho,
que tende a vagar
por caminhos escuros e dolorosos.
Um amor assim,
tende ao sofrimento infinito,
a não resolução dos seus problemas,
a não se achar parte de alguém,
a não ter reciprocidade
a não se nada.
Um simples desperdício.
Tende a encher um peito de dor e lágrimas
até transbordarem por um olhar triste.

Nenhum comentário: