sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Bem guardados

Guardo nos olhos
os teus olhos
que tanto gosto de olhar.
E apesar disso,
de te ter só minha,
e isso só eu sei,
nem tudo foi certeza ou clareza,
permitido ou proibido ou possível.
Contigo expandi todos os sentidos
e cada vez me senti mais solto
e mais preso a você.
Fizemos momentos bonitos
e os mais bonitos ainda estão por lá
como cúmplices da felicidade minha.
Amando mais do que talvez fosse possível.
Talvez não possa mais
ter a vontade de querer te ver,
pois você partiu com a brisa da manhã,
como pássaro madrugador voou
e deixou o meu canto melodioso
e triste para as flores abandonadas.
Vieste como a natureza
e partiu com ela
de dentro de mim.
Não era a hora e o tempo nosso,
mas embarquei de olhos fechados
nesta aventura.
Sorrisos guardados,
sentidos trocados,
num dia marcado
pelo destino.
Por isso guardo nos olhos
tua mais constante
e feliz presença.

Um comentário:

SER ... disse...

Obrigada.Senti-me lisonjeada com o seu comentário.Gosto de escrever.Não sou poetisa, apenas escrevo o que sinto.
Você, sim, é um lindo poeta que encanta a nossa alma.