quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Viva para sempre





Viva para sempre.
Não morra jamais,
Não quebre esta corrente,
Não me deixe para trás.

Eu lembro do jeito,
Que costumava ser,
Nosso amor era perfeito,
Eu sempre junto de você.

Éramos dois sonhadores,
Voávamos como pássaros.
Éramos anjos de amores,
Éramos dois seres raros.

Sob o sol ou sob a lua,
Nosso amanhã era eterno.
Nossa carne era crua,
O prazer não tinha inverno.

Viveríamos para sempre,
Um junto sempre do outro.
No corpo, alma e mente,
Não haveria nenhum aborto.

As palavras sussurradas,
No calor de um abraço.
Estão como tatuadas,
Me lembrando cada passo.

Viva para sempre,
Não morra jamais.
Serei um ser doente,
Se você não existir mais.

Um comentário:

brisonmattos disse...

Se a gente for acreditar em tudo que é poesia tá frita e mal paga.
Poesia não dá colo, nem beija e muito menos me abraça.
Mas parabéns para quem consegue viver de poesia...como vc.Eu não consigo. Ainda bem que somos bem diferentes.