sábado, 12 de outubro de 2013

Pétrea Marca






É hora de dizer adeus,
Por mais que seja dolorido.
Levarei os trapos meus,
Pelo tempo já poidos.

Minha pequena menina,
As lágrimas não me deixam falar.
Meu sentimento é sovina,
Não me deixa me entregar.

A dor da separação,
Irá se transformar.
Em um arco-íris de emoção,
E irá nos libertar.

Você é mais que um anjo,
Que o céu mandou para mim.
Eu sou só um desarranjo,
Um destruidor sem fim.

Eu ainda te sinto aqui,
Batendo forte no peito.
Nem fazendo haraquiri,
Este amor vai tomar jeito.

O adeus tem de haver,
Embora com dor intensa.
Para podermos sobreviver,
A razão já não agüenta.

Um caco vai ficar,
Cravado como marca eterna.
Nunca o irei arrancar,
Esta dor é fraterna.

Nenhum comentário: