quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Saudade 1

Saudade, eu não paro de dizer,
Me deixe no canto chorar.
Para tentar de vez esquecer,
A quem nunca irá voltar.

Saudade, me deixe beber,
Para ter o falso sono.
Nas garrafas perceber,
O agonia do abandono.

 Saudade, me deixe escrever,
Um talvez, novo início.
Para iniciar o refazer,
Começando do princípio.

 Saudade, sei que não vais me deixar,
Serás minha eterna companheira.
Para sempre irás me lembrar
A quem um dia me foi inteira.

Um comentário:

ELIANA-Coisas Boas da Vida disse...

Saudade.....eterna companheira de dias frios e sem graça!!
Lindos versos!
beijo