terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Migalhas

Porquê me contentar com migalhas,
Se quero uma parte do todo.
Não quero um mundo de párias.
Não quero um mundo de loucos.

Quero direito ao desejo.
Quero um mundo que fala.
Tocar aquilo que vejo,
Falar com quem não me cala.

Abrir ao sol a janela,
Conversar as vezes com a lua.
Viver uma vida tão bela,
Acabar de vez a secura.

Findar o sonho sonhado,
Entrar no mundo real.
Conversar com alguém ao lado,
E dela ser sempre leal.

 Ter o coração cheio,
Não de espaço vazio.
Fazer do sonho um esteio,
Do improvável meu navio.

Um comentário:

brisonmattos disse...

É. Escrever, vc escreve bem. Parabéns pela poesia...E bom dia