sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

Talvez

Talvez, amanhã,
eu não aconteça mais em você,
ou você em mim.
Talvez, amanhã,
você não surja em mim
ou eu não surja mais em você,
como o sol surge toda manhã.
Hoje, eu sei que,
a cada manhã
me presenteias vida,
me presenteias esperanças
de um novo dia.
Nessa minha viagem diária
volto sempre ao mesmo ponto.
Será que realmente parto
ou simplesmente me desloco,
somente de alma,
para um mundo só meu
ou só nosso,
e quando volto
vejo que ainda estou aqui,
no mesmo lugar,
não parti.
Tudo foi ilusão,
tudo foi fantasia.
Queria poder partir,
de vez, para sempre,
contigo para o nosso mundo
e ver se podemos, juntos,
ver as mesmas paisagens.
O nosso futuro
está ai, na nossa frente,
queremos nós encará-lo?
Quantas dificuldades nos esperam
em nossas viagens ilusórias
que ainda vamos enfrentar.
Quantas barreiras deverão ser quebradas
para que possamos viver a intensidade de um amor,
nem que seja por um dia,
só por um dia,
mas viveremos este dia
como loucos,
como poucos
terão a capacidade de vivê-lo
na vida.

Nenhum comentário: