sábado, 14 de setembro de 2013

Surpreenda-me





Com uma bobagem que for,
ou uma coisa qualquer.
Seja um monte de flor,
ou brigadeiro de colher.

Com uma ida a um barzinho,
Sem ter nada programado.
Ou a noite com chazinho,
Ou um jantar todo enfeitado.

Com um passeio a tarde,
De mãos dadas na praia.
Com saudade de quem parte,
Mesmo que nunca saia.

Com um beijo roubado,
Ao passar pela cozinha.
Com um olhar maliciado,
Vestindo só camisolinha.

Não importa como,
Só surpreenda.
Se não vai dar sono,
E a relação não se sustenta.

Surpreenda-me ! ! !

Um comentário:

brisonmattos disse...

Ultimamente ando com tanto soninho...
Mas claro, sempre me surpreendendo com suas poesias.