sexta-feira, 10 de junho de 2011

Encanta-me

Encanta-me, e nada quero
Além de teu suave ouvir
Na falta me desespero
Até deixo de existir.

O sono meu embala,
Com o teu cariciar.
Seja no quarto ou na sala,
Só quero em ti descansar.

Encontro toda a paz,
Que sempre procuro.
Só você me refaz,
Me tira do obscuro.

Sua pele macia,
Seu aroma de mel.
É como se fosse fantasia,
É como se morasse no céu.

Nas noites fico a sonhar,
Se é real o que sinto.
Ou então ao acordar
Todo sonho foi extinto.

Me ame. Me encante.
Domine com perfeição.
Este ser, ora vagante
Que lhe entregou seu coração.

Um comentário:

Ana disse...

Seus versos encantam e hipnotizam, não me canso de ler, palavras estas lindas e singelas que dominam o nosso ser.