terça-feira, 1 de março de 2011

Meu Coração

Meu coração
não agüenta as minhas dores,
por isto escrevo as minhas dores.
Dores de amores,
dores de dissabores.
Por isso exponho meus sabores,
Sejam ácidos ou doces,
cálidos ou fel.
Meu coração é pequeno,
nele não cabe o que sinto.
Por isto minto, escondo,
travisto sentimentos
Em palavras tristes,
Em palavras sofridas.
Meu coração é remendado
Mexido, torcido e retorcido,
Vasculhado por mãos
que tentam fazer
com que ele respire
de melhor forma,
mas ele é teimoso,
jocoso,
brinca até com o que não se deve brincar.
Meu coração é pequeno,
Ameno.
Ora fala,
Ora cala.
Ora ama,
Ora derrama,
Meu coração não agüenta
Tanta diversidade,
Morre de pensar na saudade
Que um dia há de vir,
Quando chegar a hora de partir.
Meu coração é pequeno,
No tamanho e na forma,
Mas cabe tanta gente dentro dele
que ele até se deforma.

Um comentário:

Valquiria Calado disse...

Olá amiga, como vai?


O nosso coração é mesmo um salão grande onde alguns fazem festa, até carnaval.


bjos com carinho.