domingo, 20 de março de 2011

A Vida

A vida é engraçada,
E cheia de absurdos.
Ora não temos nada,
ora não temos tudo.

Ora gera saudade,
Ora vem desespero.
Ora vem fantasia,
Ora vem aconchego.

Ora vem um perfume,
Simples como o da dama da noite.
Ora vem amargura,
Como mel em um açoite.

Ora molha o rosto,
Ora a boca se abre.
Seja num sorriso malicioso
Ou então em um desabe.

Ora sonho acordado,
Ora tenho pesadelos.
Ora um novo mundo se abre
Ora desabo no desfiladeiro.

É melhor ficar calado,
E de nada mais reclamar.
Deixar que o mundo se acabe
E só sorrir e cantar.

3 comentários:

Renata Boechat disse...

A vida? Engraçada demais...demais até pro meu gosto!

Fazer o quê? Bom domingo!

Nosalai disse...

Ops olha eu aqui de novo!
Como vai amigo e a poesia te é fiel a mais fiel das companheiras.
Esta é uma que não trai.

Capotei de novo sofri alguns arranhões e estou pronta pra outra

Nosalai ta abosorvendo tudo!
Ainda tem muita coisa trancada em mim.

Achei este poema um espelho antagonico e equilibrado pois somente o revés é capaz de revelar os dois lados
mas as escolhas, estas somos responsáveis por elas

Beijos e saudades!

Déya disse...

Dama da noite tão perfumada
quanto rara...

Entre linhas de saudade bordada..
Escondida guardada, amadurecida
mas jamais esquecida...

beiJO meu...