domingo, 27 de fevereiro de 2011

Destino

Apesar de tudo,
Aconteceu.
Mesmo em plena guerra,
Amanheceu.

O corpo doía,
Renasceu.
Na noite fria,
Adormeceu.

Acordou prá vida,
Adoeceu.
Buscou por clemência,
Conheceu o breu.

Já era tarde,
esqueceu.
O corpo sentia,
o que aconteceu.

Nada agora faz sentido,
Se perdeu.
Pensou no que tinha,
Era apogeu.

Olhou o mundo a volta,
Não reconheceu.
Pessoas estranhas,
Cercavam o mundo seu.

Todas mascaradas,
Não eram como eu,
Mas todas sorriam no falso,
Acho que o falso sou eu.

Negou o que via,
Ensandeceu.
Foi morar em hospício,
Enlouqueceu.

Vive só na solidão,
Sofreu.
O destino já estava traçado
E era só meu.

Nenhum comentário: