sábado, 19 de fevereiro de 2011

Misteriosa

Seus lábios
são como lagos,
que mergulho profundo
e me deixo afundar,
Me entrego aos mistérios
que eu hei de encontrar.
Sua pele,
alva e macia,
Como seda mais pura
É frágil como brisa,
E eu, criatura soturna.
Seus cabelos são como campos,
Dourados de trigal,
Balançam ao leve vento
O admira nunca faz mal.
Seus olhos......
Misteriosos e profundos,
Encantam e intrigam
A quem nele consegue ver,
Um pouco do que há no mundo
Deste encantado ser.
Seus braços,
Como planta trepadeira
A tudo cobrem no abraço,
Envolvente como teia.
Tudo em ti é mistério.
Tudo em ti é descobrimento.
Tudo em ti é despautério.
Tudo em ti é sentimento.

Nenhum comentário: