segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Duvide, ou não.





Duvide que a verdade seja fogo,
Ou a mentira uma bobagem.
Não duvide que o amor é um jogo,
E a paixão uma abordagem.

Duvide que as palavras sejam tramóias,
Ou os olhares sejam encantos.
Não duvide que a língua for jibóia,
Ou que os braços sejam recantos.

Duvide do que for doce demais,
Ou do que seja azedo constante.
Não duvide de um passo atrás,
Ou do que seja um passo adiante.

Duvide da saudade que passa,
Ou de uma lágrima cortante.
Não duvide da dor da ressaca,
Ou do amor de um amante.

Um comentário:

brisonmattos disse...

eu duvido que haja amor de verdade