sábado, 22 de agosto de 2015

Falo







Falo das pedras da estrada
E falo de gaivotas  a pairar
Falo de contos de fadas
E falo de amores a voar

Falo de coisas perdidas
E falo de coisas achadas
Falo de alma fugida
E falo de menina levada

Falo de coisas de dor
E falo de amores do bem
Falo de flores de cor
E falo de anjos d’além

Falo de gritos contidos
E falo de sussurros deixados
Falo de olhos perdidos
E falo de calor amordaçados

Falo de mim e de você
E falo também de nós dois
Falo de mim sem você
E falo do que ficou para depois.

Falo de muitos  desejos
E falo de sonhos diversos
Falo um tanto de beijos
E falo num mundo deserto

2 comentários:

brisonmattos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
margusta disse...

Gostei! Belo poema!