domingo, 24 de maio de 2015

Teu nome






O teu nome está escrito,
Em tudo aquilo que faço.
Mesmo que não seja lido,
Esta incrustado no laço.

Nem o sangue nem o fogo,
Irão dali retirar.
O nome que faz o jogo,
De todo este sonhar.

Esta história não existe,
Sem o teu nome constar.
Por mais que você resiste,
Não tem como negar.

É como a água do mar,
Que bate tanto na areia.
Teu nome só se faz cantar,
Aos olhos de quem tanto odeias.

E faminto vai devorando,
Um corpo que já não vai.
Me entrego quase implorando,
Destrói o que não lhe trai.

E mesmo por um instante,
Em que não haja a dor.
Quer este ser amante,
e morrer neste seu calor.

Um comentário:

Serena disse...

Adorei o blog e seus versos. Virei mais vezes com certeza. se tiver vontade passe no meu cantinho também. Blog Poesias de Serena( http://www.poesiasdeserena.blogspot.com.br)Um grande abraço!