sexta-feira, 8 de maio de 2015

Banido





Vou procurar
meu corpo sem alma
em algum lugar
Sem pressa ou calma

Recolher os pedaços
Que acho nos cantos
Um tanto, um caco
Aos poucos juntando

No meio da noite
Tateia as mãos
Em busca da corte
De um coração

Perdido no tempo
Sem ter um espaço
Catando momento
Que foi no abraço

No mundo perdido
Sem ter o seu lar
Só mais um banido
Sem onde chegar

Nenhum comentário: