segunda-feira, 2 de março de 2015

Era uma vez






Era uma vez um sonhador
Que vivia no mundo da lua
Acumulava momentos de dor
Guardando na alma nua

Guardava momentos
que nunca usaria
Pintava no vento
A cor que fugia

No coração não vingava
Os seus sonhos queridos
Aquilo que ele plantava
Logo, logo era esquecido

E ele não desistia
De suas fantasias sonhadas
Achava que ainda chegaria
O dia da sua chegada

E cedo morreu o sonhador
De tanto voar sozinho
Se guardou de vez na dor
Calado, como passarinho