terça-feira, 31 de março de 2015

Beija-flor





Era um beija-flor
Que voava sempre livre
Um dia encontrei uma flor
E na minha prisão eu tive

Beijei tanto aquela flor
Que por ela me apaixonei
Serei só dela por amor
E para ela eu me dei

Mesmo triste muitas vezes
Ela é bela como ninguém
Já matou à muitas sedes
E a muitos fez refém

Quem voava como o vento
Beijando flores pelo caminho
Se perdeu no encantamento
De uma só flor e seu carinho

Flor não fique assim tão triste
És montada na nobreza
Este beija-flor não resiste
A toda a sua beleza

2 comentários:

brisonmattos disse...

Acho que eu ficaria mais feliz se você tivesse mesmo essa flor para cuidar na vida real e não somente poéticamente falando.

brisonmattos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.